Estado do Rio anuncia vacinação de profissionais da segurança e educação

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, divulgou o lançamento de um novo Calendário Único de Vacinação contra Covid-19 para todo o estado. O decreto foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial desta terça-feira (30).

 

Entre as principais novidades está a inclusão de três categorias às prioridades para vacinação: os profissionais da saúde ainda não imunizados, agentes da segurança pública e trabalhadores da educação.

 

Segundo Castro, os municípios não são obrigados a seguir o calendário, mas servirá como uma espécie de baliza para que todos possam se orientar e caminhar juntos.

 

Solicitaram que o governo estadual fizesse este decreto criando um calendário único. Estamos criando hoje, e a intenção dele não é a de criar obrigação, mas de ser um balizador para que isso possa ser dialogado com os municípios.

 

 

Profissionais de Saúde ainda não imunizados

 

O governador anunciou que os 324 mil profissionais de saúde do estado que ainda não se vacinaram por não terem sido enquadrados nas prioridades serão contemplados até 10 de abril.

 

 

Agentes de segurança

 

De acordo com Castro, a inclusão dos agentes de segurança ao calendário, que também é uma sugestão que partiu do governo federal, visa evitar que estes profissionais sirvam como “vetores” na propagação do vírus. A vacinação dos agentes começa no dia 12 de abril, e deve ser realizada em batalhões da Polícia Militar por todo o estado. Confira os agentes de segurança que poderão se vacinar:

 

– Policiais militares
– Policiais Civis
– Policiais Federais
– Agentes da Polícia Rodoviária Federal
– Corpo de Bombeiros
– Defesa Civil dos municípios
– Agentes do Degase
– Guardas Municipais
– Oficiais de Justiça

 

 

Profissionais da educação

 

Segundo Castro, a ideia de imunizar os profissionais da educação é proporcionar tranquilidade aos pais, alunos e trabalhadores, para que as escolas possam voltar a funcionar o quanto antes.

 

Sempre digo que a escola deveria ser a última a fechar e a primeira a abrir. Mas precisamos das escolas absolutamente seguras: que os pais, profissionais e alunos tenham a tranquilidade de ir para lá. Que os pais possam levar seus filhos, tendo a tranquilidade, ao voltar com eles para casa, de saber que esses educadores ja estarão devidamente imunizados. E aí, seja na capital, seja na Baixada Fluminense, todas as cidades estarão contempladas nesse calendário de vacinação — acrescentou.

 

Apesar disso, ainda não há um calendário definido para a vacinação dos profissionais da educação. Isso porque, segundo o governo estadual, a elaboração deste cronograma ainda depende de um acordo entre os municípios.